O Efeito Entourage na Utilização Medicinal da Cannabis

O efeito comitiva, ou efeito entourage, sugere que os compostos na cannabis, canabinoides, terpenos e flavonoides, trabalham juntos sinergicamente para criar efeitos únicos. Este conceito implica que o impacto terapêutico da planta como um todo é maior do que a soma de suas partes individuais, o que significa que os óleos de espectro completo tendem a ser mais eficazes do que isolados.

“O todo é maior que a soma das partes” (Aristóteles, filósofo grego, 384-322 a.C.)

A frase famosa de Aristóteles, dita há 2.500 anos, se aplica perfeitamente ao que os cientistas estão descobrindo sobre os efeitos da cannabis no nosso organismo.

Sabemos que as flores de cannabis existem mais de 500 moléculas diferentes. Ainda assim, a ciência se concentrou principalmente em apenas duas delas: THC e CBD. Em sua defesa, essas são de longe as mais abundantes. Talvez ainda não saibamos como ou se todos esses outros compostos interagem, mas as evidências indicam que eles fazem a diferença.

O efeito comitiva, ou efeito entourage refere-se à interação sinérgica entre os vários compostos encontrados na planta de cannabis, como canabinoides, terpenos e flavonoides, que parecem aumentar os efeitos terapêuticos gerais da planta. Esse fenômeno sugere que o efeito combinado desses compostos é maior do que a soma de seus efeitos individuais. Na verdade, vários tipos de efeitos combinatórios são possíveis entre os compostos de Cannabis, incluindo efeitos aditivos e sinérgicos, bem como interações antagônicas. Estas últimas não costumam ser muito discutidas, mas podem ser cruciais para equilibrar as ações de diferentes canabinoides, levando a uma diminuição dos efeitos adversos.

Pesquisas indicam que o efeito entourage amplia benefícios potenciais, como melhor alívio da dor, efeitos antiinflamatórios e modulação dos efeitos psicoativos dos canabinoides. Como consequência, ele tem sido um assunto de crescente interesse no campo da cannabis medicinal, pois pode ter implicações para o desenvolvimento das terapias à base de cannabis e na otimização dos resultados do tratamento.

Conceituação do Efeito Entourage

Historicamente, relatos individuais de usuários e práticas de medicina tradicional sugerem o reconhecimento precoce de efeitos sinérgicos na cannabis. Nas décadas de 1960 e 1970, a pesquisa pré-clínica começou a explorar as interações entre diferentes canabinoides e seu potencial de sinergia. No final dos anos 90, Mechoulan e colaboradores introduziram o termo “efeito entourage” para descrever a interação observada entre canabinoides e outros fitoquímicos em extratos de plantas inteiras, mas foi somente em 2011 que o termo foi popularizado pelo neurofarmacologista Ethan Russo. Atualmente, os extratos de plantas inteiras são geralmente chamados de espectro completo.

E o que dizer desses outros compostos?

Basicamente, existem três classes de compostos na planta, principalmente em suas flores, que podem potencialmente interagir com nosso corpo, especialmente com nosso sistema endocannabinoide: canabinoides, terpenos e flavonoides.

Canabinoides Menores

Atualmente, existem mais de 100 canabinoides identificados na planta de cannabis. Os mais abundantes e, portanto, estudados são THC e CBD, seguidos por alguns canabinoides menores como CBG, CBN, CBC e THVC, que vêm ganhando atenção por suas propriedades recentemente. Você pode ler mais sobre eles aqui e aqui.

Terpenos

Os terpenos são um grupo de compostos orgânicos voláteis liberados pelas plantas. Na natureza, eles desempenham um papel crucial na comunicação planta-planta, interações com outros organismos e proteção contra vários estresses.

Eles são responsáveis pelo aroma da planta. Quando você sente o cheiro de lavanda ou o delicioso aroma cítrico de limão, são tudo sobre os terpenos.

Os terpenos podem ser encontrados em várias plantas, incluindo cannabis, onde são responsáveis pelo sabor e fragrância característicos da planta. A análise de cannabis para concentrações de terpenos pode ser aplicada à identificação de cepas. Os terpenos também são atribuídos aos efeitos particulares de diferentes cepas de cannabis.

As plantas de cannabis possuem mais de 150 terpenos, incluindo:

  • Beta-cariofileno: um sesquiterpeno bicíclico natural presente em muitas plantas e óleos essenciais, especialmente Cannabis sativa, copaíba, alecrim e lúpulo. Em modelos animais, o β-cariofileno atua como um agonista completo do receptor CB2. Ele demonstra efeitos imunomoduladores, antiinflamatórios, anti-ansiedade e antidepressivos.
  • Mirceno: o terpene mais prevalente nas quimiovaras modernas de cannabis e provavelmente o principal responsável pelos efeitos sedativos. O mirceno possui aplicações terapêuticas potenciais no tratamento da dor, inflamação e distúrbios relacionados ao estresse.
  • Limoneno: Este monoterpeno é o principal componente do óleo volátil das cascas de frutas cítricas e está associado a efeitos estimulantes, antiinflamatórios e antioxidantes.
  • Pineno: Normalmente encontrado em pinheiros, este monoterpeno é conhecido por suas propriedades antiinflamatórias, antioxidantes e analgésicas.
  • Terpinoleno: Este monoterpeno também encontrado em pastinagas, aipo e coentro está associado a efeitos antiinflamatórios, antiproliferativos e antioxidantes.
  • Linalol: É responsável pelo aroma característico e maravilhoso da lavanda e possui efeitos sedativos, calmantes e tranquilizantes.

Flavonoides

Os flavonoides são um grupo de substâncias naturais com estruturas fenólicas variáveis encontradas em frutas, vegetais, grãos, cascas, raízes, caules, flores, chá e vinho. São conhecidos por seus efeitos benéficos à saúde, incluindo propriedades antioxidantes, antiinflamatórias, antimutagênicas e anticarcinogênicas, além de sua capacidade de modular a função de enzimas celulares chave. 

Os flavonoides estão presentes na maioria dos tecidos da planta de cannabis, incluindo folhas, flores e frutos. Alguns dos flavonoides encontrados na cannabis potencialmente contribuem para seus efeitos medicinais. Pesquisas demonstraram que as canaflavinas, assim como outros flavonoides, possuem efeitos antioxidantes. Outra bioatividade relevante encontrada nesta classe de flavonoides é a propriedade antiinflamatória. Ainda temos bastante a descobrir sobre os flavonoides da cannabis.

Evidências do Efeito Entourage

Estudos Pré-clínicos: Estudos sobre canabinoides isolados e extratos de plantas inteiras em vários modelos de doenças sugerem que as combinações frequentemente produzem maior eficácia do que os canabinoides individuais. Por exemplo, uma combinação de THC e CBD foi mais eficaz na redução da dor neuropática do que qualquer composto sozinho em um modelo de roedor.

Observações Clínicas: Evidências anedóticas de usuários de cannabis medicinal sugerem que os extratos de plantas inteiras proporcionam alívio mais amplo e eficaz em comparação com os canabinoides isolados. Isso tem sido relatado para TEA, esclerose múltipla, epilepsia, dor crônica e insônia, apenas para citar alguns. Não é raro que os pacientes iniciem o uso de cannabis para uma condição específica e observem que começaram a dormir melhor.

Mecanismo de Ação: Os mecanismos propostos para o efeito entourage incluem:

  • Interações Canabinoid-Canabinoid: Diferentes canabinoides podem potencializar ou modular os efeitos uns dos outros por meio de vários mecanismos, como ligação a diferentes receptores ou afetando seu metabolismo.
  • Interações Canabinoid-Terpenoid: Os terpenos podem aumentar a biodisponibilidade e eficácia dos canabinoides por meio de interações com enzimas e transportadores.
  • Modulação de Vias Não-Canabinoid: Alguns fitoquímicos na cannabis podem interagir com outras vias de sinalização além do sistema canabinoid, contribuindo para o efeito terapêutico geral.

Implicações para o Uso Médico de Cannabis:

  • Seleção de Produtos de Cannabis: O efeito entourage sugere que extratos de cannabis de planta inteira ou formulações contendo múltiplos canabinoides e terpenos podem ser mais eficazes para certas condições médicas do que canabinoides isolados.
  • Dosagem e Regimes de Tratamento: Compreender o efeito entourage pode ajudar a desenvolver estratégias de dosagem personalizadas e regimes de tratamento que aproveitem as interações sinérgicas entre diferentes componentes da cannabis.

Por fim, dentro do debate em curso sobre a classificação da Cannabis, parece que a composição química da planta é mais importante do que sua aparência física. Isso é relevante para o efeito entourage porque diferentes variedades químicas (quimiovares) de Cannabis podem ter diferentes propriedades terapêuticas devido às variações em seus perfis de canabinoides e terpenos. É crucial considerar o efeito entourage ao desenvolver medicamentos à base de cannabis. Isso sugere que as pesquisas futuras devem se concentrar na identificação e otimização de combinações de canabinoides e terpenos para aplicações terapêuticas específicas.

A composição química da Cannabis é mais importante do que sua aparência para determinar seus efeitos terapêuticos. Diferentes quimiotipos de Cannabis possuem perfis variados de canabinoides e terpenos, o que parece ser refletido nas diversas propriedades terapêuticas. Logo, o efeito entourage deve ser considerado na criação de medicamentos à base de Cannabis. Pesquisas futuras devem focar na identificação e otimização de combinações específicas de canabinoides e terpenos para tratar diferentes condições médicas.

Referências

  • Alberti, T. B., Barbosa, W. L., Vieira, J. L., Raposo, N. R., & Dutra, R. C. (2017). “(−)-β-Caryophyllene, a CB2 Receptor-Selective Phytocannabinoid, Suppresses Motor Paralysis and Neuroinflammation in a Murine Model of Multiple Sclerosis.” *International Journal of Molecular Sciences*, 18(4), 691. https://doi.org/10.3390/ijms18040691
  • Baron, E. P. (2018). “Medicinal Properties of Cannabinoids, Terpenes, and Flavonoids in Cannabis, and Benefits in Migraine, Headache, and Pain: An Update on Current Evidence and Cannabis Science.” *Headache*, 58(7), 1139–1186. https://doi.org/10.1111/head.13345
  • Bautista, J. L., Yu, S., & Tian, L. (2021). “Flavonoids in Cannabis sativa: Biosynthesis, Bioactivities, and Biotechnology.” *ACS Omega*, 6(8), 5119-5123. doi: 10.1021/acsomega.1c00318. PMID: 33681553; PMCID: PMC7931196.
  • Ben-Shabat, S., Fride, E., Sheskin, T., Tamiri, T., Rhee, M. H., Vogel, Z., Bisogno, T., De Petrocellis, L., Di Marzo, V., & Mechoulam, R. (1998). “An entourage effect: inactive endogenous fatty acid glycerol esters enhance 2-arachidonoyl-glycerol cannabinoid activity.” *European Journal of Pharmacology*, 353(1), 23–31. https://doi.org/10.1016/s0014-2999(98)00392-6
  • Christensen, C., Rose, M., Cornett, C., & Allesø, M. (2023). “Decoding the Postulated Entourage Effect of Medicinal Cannabis: What It Is and What It Isn’t.” *Biomedicines*, 11(8), 2323. doi: 10.3390/biomedicines11082323. PMID: 37626819; PMCID: PMC10452568.
  • Koltai, H., & Namdar, D. (2020). “Cannabis Phytomolecule ‘Entourage’: From Domestication to Medical Use.” *Trends in Plant Science*, 25(10), 976-984. doi: 10.1016/j.tplants.2020.04.007. Epub 2020 May 13. PMID: 32417167.
  • Radwan, M. M., Chandra, S., Gul, S., & ElSohly, M. A. (2021). “Cannabinoids, Phenolics, Terpenes and Alkaloids of Cannabis.” *Molecules (Basel, Switzerland)*, 26(9), 2774. https://doi.org/10.3390/molecules26092774
  • Rodriguez, C. E. B., Ouyang, L., & Kandasamy, R. (2022). “Antinociceptive effects of minor cannabinoids, terpenes and flavonoids in Cannabis.” *Behavioural Pharmacology*, 33(2&3), 130–157. https://doi.org/10.1097/FBP.0000000000000627
  • Rosenkranz, M., Chen, Y., Zhu, P., & Vlot, A. C. (2021). “Volatile terpenes – mediators of plant-to-plant communication.” *The Plant Journal*, 108(3), 617–631. https://doi.org/10.1111/tpj.15453
  • Russo, E. B. (2019). “The Case for the Entourage Effect and Conventional Breeding of Clinical Cannabis: No ‘Strain,’ No Gain.” *Frontiers in Plant Science*, 9:1969. doi: 10.3389/fpls.2018.01969. PMID: 30687364; PMCID: PMC6334252.
  • Russo, E. B. (2011). “Taming THC: potential cannabis synergy and phytocannabinoid-terpenoid entourage effects.” *British Journal of Pharmacology*, 163(7), 1344-1364. doi: 10.1111/j.1476-5381.2011.01238.x. PMID: 21749363; PMCID: PMC3165946.
  • Russo, E. B., & Marcu, J. (2017). “Cannabis Pharmacology: The Usual Suspects and a Few Promising Leads.” *Advances in Pharmacology (San Diego, Calif.)*, 80, 67–134. https://doi.org/10.1016/bs.apha.2017.03.004
  • Shen, N., Wang, T., Gan, Q., Liu, S., Wang, L., & Jin, B. (2022). “Plant flavonoids: Classification, distribution, biosynthesis, and antioxidant activity.” *Food Chemistry*, 383, 132531. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2022.132531

Escrito por: Leticia Dadalt, PhD: Bióloga, apaixonada pela ciência da vida, traz uma bagagem acadêmica robusta para a arena da educação canábica. Sua jornada é dedicada a compartilhar conhecimento, quebrar estigmas e abrir caminhos para que mais pessoas possam explorar os benefícios terapêuticos dessa planta incrível.

Com sede no Vale do Silício, somos líderes em biotecnologia para suplementação nutricional, com certificado de boas práticas em manipulação pela regulamentação dos Estados Unidos. 

Alopecia

A alopecia, ou queda de cabelo, é uma condição que afeta milhões de pessoas no mundo e impacta muito a autoestima. Estudos sugerem que o Sistema Endocanabinoide exerce um papel crucial no controle capilar, atuando através dos receptores CB1 e CB2 e também dos receptores TRPV e PPAR como moduladores do crescimento capilar, abrindo caminho para novas abordagens terapêuticas na alopecia.

Leia mais »

Câncer de Pele

O câncer de pele é uma condição preocupante e cada vez mais comum em todo o mundo. Caracterizado pelo crescimento anormal das células da pele, pode se manifestar de diversas formas, sendo os tipos mais comuns o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. A exposição excessiva aos raios ultravioleta (UV) do sol é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele, destacando a importância da proteção solar e da realização de exames regulares da pele para detecção precoce. Embora geralmente tratável se diagnosticado cedo, o câncer de pele pode se tornar grave se não for tratado adequadamente, destacando a necessidade de conscientização e prevenção. Avanços recentes nas pesquisas apontam o sistema endocanabinoide como potencial alvo no combate ao mais agressivo dos cânceres de pele, o melanoma.

Leia mais »

Óleo de Semente de Cânhamo – Cuidado Natural com a Pele

O óleo de semente de cânhamo é uma fonte rica de ácidos graxos essenciais, incluindo ômega-3 e ômega-6, que podem beneficiar a saúde da pele. O óleo de semente de cânhamo pode ser utilizado como hidratante, adicionado a produtos de cuidados com a pele ou consumido como suplemento alimentar para melhorar a saúde da pele de dentro para fora.

Leia mais »