Estresse

O estresse é uma realidade que impacta milhões em todo o mundo. Embora seja uma resposta natural do corpo, evoluindo para garantir nossa sobrevivência em situações perigosas, o estresse crônico nos tempos modernos pode acarretar diversos problemas de saúde. Exploraremos como o sistema endocanabinoide desempenha um papel vital na regulação do estresse, interagindo com o eixo HPA e a amígdala. Além disso, abordaremos como a cannabis medicinal pode ser uma aliada eficaz no gerenciamento do estresse, especialmente quando combinada com práticas integrativas.

Todos nós passamos por situações estressantes em algum momento de nossas vidas, seja devido à pressão no trabalho, responsabilidades familiares ou desafios pessoais. Mas você já se perguntou o que realmente acontece em nossos corpos quando estamos estressados? E há algo que podemos fazer para gerenciar o estresse de maneira mais eficaz?

O estresse é a resposta fisiológica do corpo a demandas substanciais ou incomuns, o que pode iniciar a resposta “Luta ou Fuga”. A reação do corpo ao estresse é regulada pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA) e pelo sistema nervoso simpático (SNS). Quando o corpo percebe uma ameaça ou desafio, o hipotálamo libera o hormônio liberador de corticotropina iniciando uma cascata que vai levas as glândulas adrenais a liberar cortisol, o mais conhecido hormônio do estresse. O SNS também desempenha um papel na resposta ao estresse, liberando adrenalina e noradrenalina, que aumentam a frequência cardíaca, pressão sanguínea e taxa respiratória, entre outras alterações fisiológicas. A resposta ao estresse é uma adaptação evolutiva fundamental que possibilitou a sobrevivência em ambientes desafiadores.

Mesmo que nossas ameaças ou estressores tenham mudado, nossos corpos ainda estão programados dessa maneira. Atualmente, o estresse é um problema global que afeta milhões de pessoas. Além de questões sociais, como privação de necessidades básicas da vida (alimentação, abrigo, segurança), nosso estilo de vida moderno, com demandas, expectativas e prazos constantes, cria um ambiente estressante. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o estresse é a principal causa de incapacidade em todo o mundo, e estima-se que as doenças relacionadas ao estresse custem à economia global US$ 1 trilhão a cada ano. O estresse crônico tem sido associado a uma variedade de problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, diabetes e depressão.

A exposição crônica a situações estressantes pode levar a dores de cabeça, músculos tensos, insônia e outros sintomas. O estresse também pode alterar a memória, a função imunológica, o metabolismo e a suscetibilidade a doenças. De acordo com um relatório da OMS, cerca de 450 milhões de pessoas sofrem de transtorno mental ou comportamental devido ao estresse.

Os dados científicos disponíveis atualmente implicam claramente o sistema endocanabinoide (SEC) na modulação central do estresse físico e mental-emocional (tanto agudo quanto crônico). Endocanabinoides desempenham um papel na adaptação ao estresse e regulam a liberação de glicocorticoides em condições estressantes e não estressantes. O SEC interage com o eixo HPA em resposta ao estresse, e pesquisas sugerem que a sinalização endocanabinoide desempenha um papel inibitório na regulação da atividade do eixo HPA e liberação de cortisol. Em condições basais, a sinalização endocanabinoide suprime a atividade do eixo HPA por meio de ações coordenadas no córtex pré-frontal, amígdala e hipotálamo.

Em relação ao uso de cannabis, vários estudos examinaram o impacto da planta nos mecanismos de enfrentamento do estresse do corpo. Alguns resultados foram inconclusivos, mas estudos recentes começaram a resolver essas aparentemente contradições. As diferenças encontradas estão relacionadas ao uso de terapêuticos à base de cannabis com diferentes proporções de CBD e THC, que são um fator determinante importante para os potenciais efeitos terapêuticos ou adversos.

Pesquisas pré-clínicas sugerem que o SEC desempenha um papel na  recuperação da resposta ao estresse. Um estudo de 2022 encontrou uma relação entre as mudanças nos níveis de endocanabinoides de pré para pós-estresse agudo e a resposta ao estresse, sugerindo que o 2-AG pode ser um alvo promissor na busca por tratamentos imediatos após eventos traumáticos. Uma revisão sistemática de 2022 de estudos pré-clínicos publicados na Translational Psychiatry descobriu que os canabinoides podem ser uma opção de tratamento viável para psicopatologias relacionadas ao estresse, como depressão e ansiedade.

Grande parte da pesquisa sobre SEC, cannabis e estresse foi desenvolvida dentro de um contexto de TEPT. Um estudo descobriu que o endocanabinoide 2-AG estava elevado no fluido cerebrospinal de ratos com fenótipo de TEPT em comparação com outros grupos e estava inversamente correlacionado com a secreção urinária de corticosterona. Isso sugere que o ECS pode estar envolvido no desenvolvimento do TEPT regulando os níveis de cortisol em resposta ao estresse, representando uma oportunidade terapêutica.

Um estudo de 2021 publicado no JAMA descobriu que o CBD reduziu os sintomas de exaustão emocional, ansiedade e depressão entre os profissionais de saúde da linha de frente que trabalharam durante a pandemia de COVID-19.

Ainda há muitas áreas pouco exploradas e possibilidades terapêuticas promissoras no horizonte. Além do envolvimento direto do SEC mencionado acima, existe um amplo conjunto de pesquisas sobre o uso de terapêuticos à base de cannabis para tratar condições relacionadas à exposição crônica ao estresse, como depressão, insônia, ansiedade, diabetes e problemas cardiovasculares.

É importante enfatizar que a cannabis não opera milagres: o gerenciamento eficaz do estresse envolve uma abordagem integrativa. Aqui estão algumas dicas:

  • Prática a meditação mindfulness: A meditação mindfulness é uma ferramenta poderosa que pode ajudar a gerenciar o estresse. Envolve focar no momento presente e aceitá-lo sem julgamento. 
  • Prática regular de exercícios físicos: O exercício é uma ótima maneira de reduzir o estresse. Pode ajudar na liberação de endorfinas, que são estimulantes naturais do humor. O exercício regular também pode ajudar a dormir melhor e melhorar a saúde geral.
  • Sono suficiente: A falta de sono pode aumentar o estresse e a ansiedade. É essencial garantir horas adequadas de sono para permitir que o corpo se recupere do estresse. Visar pelo menos 7-8 horas de sono por noite.
  • Conexão com os outros: O apoio social é um aspecto essencial do gerenciamento do estresse. Conversar com amigos ou familiares pode ajudar a se sentir mais conectado e reduzir o estresse.

Em conclusão, o estresse é uma  resposta fisiológica complexa que afeta milhões em todo o mundo. O sistema endocanabinoide desempenha um papel na regulação do estresse, interagindo com o eixo HPA e a amígdala, um modulador significativo das respostas ao estresse e relaxamento. Medicamentos à base de cannabis podem ser de grande ajuda no gerenciamento do estresse, mas é essencial integrar estratégias como exercícios regulares e sono de qualidade (onde a cannabis também pode ajudar) para gerenciar o estresse de maneira mais eficaz.

Referências 

  • Blessing, E. M., Steenkamp, M. M., Manzanares, J., & Marmar, C. R. (2015). Cannabidiol as a potential treatment for anxiety disorders. Neurotherapeutics, 12(4), 825-836. [https://link.springer.com/article/10.1007/s13311-015-0387-1](https://link.springer.com/article/10.1007/s13311-015-0387-1).
  • Campos, A. C., Fogaça, M. V., Sonego, A. B., & Guimarães, F. S. (2016). Cannabidiol, neuroprotection and neuropsychiatric disorders. Pharmacological Research, 112, 119-127. [https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1043661816303299](https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1043661816303299).
  • Crippa JAS, Zuardi AW, Guimarães FS, Campos AC, de Lima Osório F, Loureiro SR, Dos Santos RG, Souza JDS, Ushirohira JM, Pacheco JC, Ferreira RR, Mancini Costa KC, Scomparin DS, Scarante FF, Pires-Dos-Santos I, Mechoulam R, Kapczinski F, Fonseca BAL, Esposito DLA, Pereira-Lima K, Sen S, Andraus MH, Hallak JEC; Burnout and Distress Prevention With Cannabidiol in Front-line Health Care Workers Dealing With COVID-19 (BONSAI) Trial Investigators. Efficacy and Safety of Cannabidiol Plus Standard Care vs Standard Care Alone for the Treatment of Emotional Exhaustion and Burnout Among Frontline Health Care Workers During the COVID-19 Pandemic: A Randomized Clinical Trial. JAMA Netw Open. 2021 Aug 2;4(8):e2120603. [https://doi.org/10.1001/jamanetworkopen.2021.20603](https://doi.org/10.1001/jamanetworkopen.2021.20603).
  • Hill, M. N., & Patel, S. (2013). Translational evidence for the involvement of the endocannabinoid system in stress-related psychiatric illnesses. Biological Mood & Anxiety Disorders, 3(1), 19. [https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3817535/](https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3817535/).
  • Morena, M., Patel, S., Bains, J. S., & Hill, M. N. (2021). Is PTSD-phenotype associated with HPA-axis sensitivity?: The endocannabinoid system in modulating stress response in rats. Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry, 110, 110304. [https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8232809/](https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8232809/).
  • Reuveni N, Carlson CA, Schwartz S, Meter D, Barrett TS, Freeman SM. The antidepressant and anxiolytic effects of cannabinoids in chronic unpredictable stress: a preclinical systematic review and meta-analysis. Transl Psychiatry. 2022 May 31;12(1):217. [https://doi.org/10.1038/s41398-022-01967-1](https://doi.org/10.1038/s41398-022-01967-1).
  • Shannon, S., Lewis, N., Lee, H., & Hughes, S. (2019). Cannabidiol in anxiety and sleep: A large case series. The Permanente Journal, 23, 18-041. [https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6326553/](https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6326553/).
  • Spohrs J, Prost M, Ulrich M, Plener PL, Bindila L, Abler B. Endocannabinoid system reactivity during stress processing in healthy humans. Biol Psychol. 2022 Mar;169:108281. [https://doi.org/10.1016/j.biopsycho.2022.108281](https://doi.org/10.1016/j.biopsycho.2022.108281).
  • Wagner GP, Erkenbrack EM, Love AC. Stress-Induced Evolutionary Innovation: A Mechanism for the Origin of Cell Types. Bioessays. 2019 Apr;41(4):e1800188. [https://doi.org/10.1002/bies.201800188](https://doi.org/10.1002/bies.201800188).
  • World Health Organization. (2019). Mental health: Strengthening our response. [https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/mental-health-strengthening-our-response](https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/mental-health-strengthening-our-response).

Escrito por: Leticia Dadalt, PhD: Bióloga, apaixonada pela ciência da vida, traz uma bagagem acadêmica robusta para a arena da educação canábica. Sua jornada é dedicada a compartilhar conhecimento, quebrar estigmas e abrir caminhos para que mais pessoas possam explorar os benefícios terapêuticos dessa planta incrível.

Com sede no Vale do Silício, somos líderes em biotecnologia para suplementação nutricional, com certificado de boas práticas em manipulação pela regulamentação dos Estados Unidos. 

Alopecia

A alopecia, ou queda de cabelo, é uma condição que afeta milhões de pessoas no mundo e impacta muito a autoestima. Estudos sugerem que o Sistema Endocanabinoide exerce um papel crucial no controle capilar, atuando através dos receptores CB1 e CB2 e também dos receptores TRPV e PPAR como moduladores do crescimento capilar, abrindo caminho para novas abordagens terapêuticas na alopecia.

Leia mais »

Câncer de Pele

O câncer de pele é uma condição preocupante e cada vez mais comum em todo o mundo. Caracterizado pelo crescimento anormal das células da pele, pode se manifestar de diversas formas, sendo os tipos mais comuns o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. A exposição excessiva aos raios ultravioleta (UV) do sol é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele, destacando a importância da proteção solar e da realização de exames regulares da pele para detecção precoce. Embora geralmente tratável se diagnosticado cedo, o câncer de pele pode se tornar grave se não for tratado adequadamente, destacando a necessidade de conscientização e prevenção. Avanços recentes nas pesquisas apontam o sistema endocanabinoide como potencial alvo no combate ao mais agressivo dos cânceres de pele, o melanoma.

Leia mais »

Óleo de Semente de Cânhamo – Cuidado Natural com a Pele

O óleo de semente de cânhamo é uma fonte rica de ácidos graxos essenciais, incluindo ômega-3 e ômega-6, que podem beneficiar a saúde da pele. O óleo de semente de cânhamo pode ser utilizado como hidratante, adicionado a produtos de cuidados com a pele ou consumido como suplemento alimentar para melhorar a saúde da pele de dentro para fora.

Leia mais »