Cannabis e Osteoporose

A osteoporose é uma condição na qual os ossos enfraquecem e ficam propensos a fraturas porque as células ósseas antigas são destruídas mais rapidamente do que as novas são formadas. O sistema nervoso central está envolvido nesse metabolismo. O tratamento convencional envolve medicamentos, nutrição e exercícios. O sistema endocanabinoide afeta a saúde óssea, e os canabinoides podem ajudar no tratamento da osteoporose, melhorando a densidade óssea e a cicatrização.

A osteoporose, do grego “ossos porosos”, resulta de um desequilíbrio no contínuo processo de remodelação óssea. Nesta condição, as células ósseas envelhecidas são destruídas mais rapidamente do que novas células são formadas, resultando em ossos fracos e frágeis suscetíveis a fraturas. Este artigo explora a complexa relação entre a osteoporose e o sistema endocanabinoide, oferecendo insights sobre possíveis abordagens de tratamento.

Compreendendo a Osteoporose

A osteoporose é caracterizada por uma diminuição na densidade óssea ao longo do tempo, tornando os ossos mais suscetíveis a fraturas. O sistema nervoso central desempenha um papel essencial na regulação do metabolismo ósseo, tanto na saúde quanto na doença, por meio de uma série de neurotransmissores que influenciam a atividade das células ósseas. A causa fundamental da osteoporose reside no desequilíbrio entre as células que quebram o tecido ósseo envelhecido (osteoclastos) e aquelas responsáveis pela formação de novo tecido ósseo (osteoblastos). A doença é frequentemente assintomática, mas pode ser associada a vários fatores de risco como o tabagismo, a menopausa, o uso de corticosteroides e condições médicas subjacentes.

Na medicina convencional, a osteoporose é principalmente tratada por meio de intervenções farmacêuticas, modificações nutricionais (incluindo suplementação de minerais e vitamina D) e exercícios físicos.

SEC, Cannabis e Osteoporose

O sistema endocanabinoide, uma rede complexa de receptores e moléculas sinalizadoras, desempenha um papel significativo na saúde óssea. Vários receptores sensíveis a canabinoides, incluindo CB1, CB2, GPR55, TRPV1 e TRPV4, foram identificados nos tecidos ósseos, sendo os receptores CB2 os mais abundantes.

Os endocanabinoides, como a anandamida (AEA) e o 2-arachidonilglicerol (2-AG), podem influenciar a formação de osteoblastos, a atividade de osteoclastos e a formação óssea. Canabinoides sintéticos também demonstraram vários efeitos nas atividades relacionadas aos ossos. Por exemplo, agonistas do CB2 estimulam a proliferação de osteoblastos, enquanto antagonistas do CB2  inibem a diferenciação de osteoclastos. O CBD, um antagonista de GPR-55, aumenta a atividade de osteoblastos, mas diminui a função de osteoclastos.

Pesquisas sobre Cannabis para a Osteoporose

Estudos pré-clínicos indicam que o sistema endocanabinoide, seus receptores, enzimas e endocanabinoides primários estão presentes e funcionais em osteoblastos e osteoclastos. Isso sugere uma via potencial para modular a osteoporose por meio de terapias baseadas em canabinoides.

Pesquisas sugerem que tanto os locais de receptores CB1 quanto CB2 podem desempenhar um papel na modulação da osteoporose por meio de diferentes mecanismos. A ativação dos sítios de receptores CB2, principalmente por meio de agonistas específicos, parece promissora para restabelecer o equilíbrio entre a reabsorção e a formação óssea. A ativação dos sítios de receptores CB2 também mostrou potencial em atenuar a perda óssea induzida por ovariectomia em modelos animais.

Em um estudo de 2015 publicado no Journal of Bone and Mineral Research, o CBD melhorou a cicatrização de fraturas ósseas em ratos. De forma semelhante, outro estudo no mesmo periódico em 2017 demonstrou que o CBD melhorou a densidade e a resistência óssea em ratos com fraturas do fêmur médio. Esses achados sugerem o potencial terapêutico do CBD na cicatrização e aumento da densidade óssea.

Uma revisão publicada no periódico Current Opinion in Endocrinology, Diabetes, and Obesity em 2017 sugeriu que o sistema endocanabinoide desempenha um papel significativo no metabolismo ósseo. Esta revisão também indicou que modular o sistema endocanabinoide pode ter potencial como estratégia de tratamento para a osteoporose.

Um estudo recente de 2023 publicado no periódico Bone Research se aprofundou na interação entre o sistema nervoso e a interocepção esquelética. A interação dos nervos sensoriais nos tecidos esqueléticos facilita a recepção de sinais derivados do osso pelo sistema nervoso central e a manutenção da homeostase. O estudo também examinou o papel dos endocanabinoides, incluindo a anandamida e o 2-AG, que influenciam ativamente o microambiente ósseo. O receptor CB1 predominantemente regula o metabolismo ósseo por meio de terminais nervosos simpáticos, suprimindo a liberação de norepinefrina e aprimorando a atividade e a diferenciação de osteoblastos, enquanto também reduz a formação de osteoclastos. Além disso, os receptores CB1 e CB2 estão amplamente distribuídos em osteoblastos, osteoclastos e seus precursores, contribuindo significativamente para a homeostase óssea.

O SEC responde à interocepção esquelética para manutenção da homeostase óssea. Figura retirada de Kulpa et al. 2023.

Em conclusão, embora as pesquisas estejam em andamento, há evidências crescentes de que o sistema endocanabinoide, especialmente em conjunto com o CBD, pode oferecer novos alvos terapêuticos para a osteoporose. São necessários estudos adicionais para compreender plenamente os benefícios e riscos potenciais associados aos tratamentos baseados em cannabis para essa condição. Se estiver considerando a cannabis como terapia potencial, pode ser prudente optar por variedades ricas em CBD durante os períodos de cicatrização óssea.

Referências

  • Clouse G, Penman S, Hadjiargyrou M, Komatsu DE, Thanos PK. Examining the role of cannabinoids on osteoporosis: a review. Arch Osteoporos. 2022 Nov 19;17(1):146. doi: 10.1007/s11657-022-01190-x. PMID: 36401719.
  • Idris AI. Role of cannabinoid receptors in bone disorders: alternatives for treatment. Drug News Perspect. 2008 Dec;21(10):533-40. doi: 10.1358/dnp.2008.21.10.1314055. PMID: 19221634.
  • Kulpa J, Harrison A, Rudolph L, Eglit GML, Turcotte C, Bonn-Miller MO, Peters EN. Oral Cannabidiol Treatment in Two Postmenopausal Women with Osteopenia: A Case Series. Cannabis Cannabinoid Res. 2023 Sep;8(S1):S83-S89. doi: 10.1089/can.2023.0060. PMID: 37721991.
  • Kogan NM, Mechoulam R. Cannabinoids in health and disease. Dialogues Clin Neurosci. 2007;9(4):413-430. PMID: 18286801 PMCID: PMC3202504. doi: 10.31887/DCNS.2007.9.4/nkogan.
  • Saponaro F, Ferrisi R, Gado F, Polini B, Saba A, Manera C, Chiellini G. The Role of Cannabinoids in Bone Metabolism: A New Perspective for Bone Disorders. Int J Mol Sci. 2021 Nov 16;22(22):12374. doi: 10.3390/ijms222212374. PMID: 34830256; PMCID: PMC8621131.
  • Xiao Y, Han C, Wang Y, Zhang X, Bao R, Li Y, Chen H, Hu B, Liu S. Interoceptive regulation of skeletal tissue homeostasis and repair. Bone Res. 2023 Sep 5;11(1):48. doi: 10.1038/s41413-023-00285-6. PMID: 37669953; PMCID: PMC10480189.
  • Xin Y, Tang A, Pan S, Zhang J. Components of the Endocannabinoid System and Effects of Cannabinoids Against Bone Diseases: A Mini-Review. Front Pharmacol. 2022 Jan 19;12:793750. doi: 10.3389/fphar.2021.793750. PMID: 35126132; PMCID: PMC8815309.

Escrito por: Leticia Dadalt, PhD: Bióloga, apaixonada pela ciência da vida, traz uma bagagem acadêmica robusta para a arena da educação canábica. Sua jornada é dedicada a compartilhar conhecimento, quebrar estigmas e abrir caminhos para que mais pessoas possam explorar os benefícios terapêuticos dessa planta incrível.

Com sede no Vale do Silício, somos líderes em biotecnologia para suplementação nutricional, com certificado de boas práticas em manipulação pela regulamentação dos Estados Unidos. 

Alopecia

A alopecia, ou queda de cabelo, é uma condição que afeta milhões de pessoas no mundo e impacta muito a autoestima. Estudos sugerem que o Sistema Endocanabinoide exerce um papel crucial no controle capilar, atuando através dos receptores CB1 e CB2 e também dos receptores TRPV e PPAR como moduladores do crescimento capilar, abrindo caminho para novas abordagens terapêuticas na alopecia.

Leia mais »

Câncer de Pele

O câncer de pele é uma condição preocupante e cada vez mais comum em todo o mundo. Caracterizado pelo crescimento anormal das células da pele, pode se manifestar de diversas formas, sendo os tipos mais comuns o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. A exposição excessiva aos raios ultravioleta (UV) do sol é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele, destacando a importância da proteção solar e da realização de exames regulares da pele para detecção precoce. Embora geralmente tratável se diagnosticado cedo, o câncer de pele pode se tornar grave se não for tratado adequadamente, destacando a necessidade de conscientização e prevenção. Avanços recentes nas pesquisas apontam o sistema endocanabinoide como potencial alvo no combate ao mais agressivo dos cânceres de pele, o melanoma.

Leia mais »

Óleo de Semente de Cânhamo – Cuidado Natural com a Pele

O óleo de semente de cânhamo é uma fonte rica de ácidos graxos essenciais, incluindo ômega-3 e ômega-6, que podem beneficiar a saúde da pele. O óleo de semente de cânhamo pode ser utilizado como hidratante, adicionado a produtos de cuidados com a pele ou consumido como suplemento alimentar para melhorar a saúde da pele de dentro para fora.

Leia mais »