Ansiedade

Descubra como a ansiedade afeta a sociedade moderna e como os canabinoides podem ser uma alternativa segura e eficaz para o tratamento. Estudos revelam que o CBD reduz a ansiedade sem efeitos sedativos, enquanto o THC pode auxiliar em casos específicos. A cannabis medicinal surge como uma nova e promissora opção terapêutica, oferecendo alívio para muitos que não respondem a tratamentos convencionais.

O que é?

A ansiedade é um transtorno mental prevalente na sociedade moderna, afetando indivíduos de todas as idades e origens. No mundo atual, rápido e exigente, com seus incessantes estímulos, muitos fatores contribuem para o aumento da prevalência da ansiedade. As pressões do trabalho, responsabilidades financeiras, expectativas sociais, afastamento da natureza e de hábitos saudáveis e a constante exposição à informação por meio da tecnologia podem contribuir para níveis elevados de estresse e ansiedade. Transtornos de ansiedade têm a maior prevalência ao longo da vida quando comparados com outras doenças mentais, levando a uma baixa qualidade de vida, e altos custos sociais e econômicos. Os fármacos atualmente disponíveis para tratar ansiedade possuem baixa eficácia e muitos efeitos adversos. A literatura atual indica que os canabinóides podem ser uma alternativa viável e segura para lidar com esta questão tão relevante e urgente na sociedade moderna.

Sinopse da Pesquisa sobre Cannabis para Transtornos de Ansiedade: 

133 estudos primários

3 meta-análises clínicas

19 estudos em humanos duplo cego

12 estudos clínicos em humanos

55 reviews

43 estudos animais

1 laboratoriais

A literatura atual confirma que o SEC (Sistema Endocanabinóide) está envolvido na modulação dos fundamentos biológicos e estados de humor relevantes na experiência e processamento da ansiedade. Um estudo de 2018 publicado na revista Psychoneuroendocrinology examinou a relação entre  endocanabinoides circulantes (AEA e 2-AG) com o afeto e a emocionalidade em 175 indivíduos com (n=115) e sem (n=60) transtornos de humor, ansiedade e/ou personalidade, mostrarando que os níveis circulantes de AEA apresentaram uma relação significativa e inversa com a regulação do afeto. Isso indica que os endocanabinoides presentes na corrente sanguínea podem desempenhar um papel na influência da emocionalidade em indivíduos, independentemente do diagnóstico psiquiátrico específico.

Estudos pré-clínicos e estudos em humanos mostram que os fitocanabinoides THC e  CBD ativam diferentes partes da arquitetura do cérebro, produzindo efeitos opostos que reduzem a ansiedade. o CBD tem demonstrado reduzir os aspectos afetivos da ansiedade sem produzir alterações cognitivas ou efeitos sedativos, o que é bastante desejável. Dentre o espectro de ação mais amplo do CBD, múltiplos mecanismos podem ajudar a aliviar os sintomas de ansiedade, como suas interações com os receptores acoplados à proteína G (GPCR) e canais iônicos, incluindo o canal de cálcio do potencial transiente (TRP), transportadores de neurotransmissores, receptores de membrana e receptores de serotonina (5-HT1a).

Diversos estudos  animais sugerem que o CBD possui propriedades ansiolíticas. Um estudo recente de 2023 publicado no periódico Neuropharmacology investigou os efeitos do CBD em memórias aversivas e respostas relacionadas à ansiedade em ratas adultas. O objetivo do estudo foi preencher a lacuna de conhecimento em relação ao tratamento de transtornos de ansiedade e estresse em fêmeas. O estudo constatou que o CBD atenuou a manifestação comportamental do medo aprendido e da ansiedade em ratas fêmeas, além de reduzir as respostas relacionadas à ansiedade avaliadas no labirinto em cruz elevado, concluindo que o CBD possui potencial para ser um tratamento seguro e eficaz para transtornos de ansiedade e estresse em fêmeas.  

Uma pesquisa de 2017 publicada no British Journal of Pharmacology explorou mais a fundo os mecanismos de ação do CBD, revelando que ele reduz a ansiedade através da ativação dos receptores 5-HT1A e dos receptores canabinóides (indiretamente), potencialmente regulando o processamento da memória emocional em humanos e modelos animais. O CBD inibe a FAAH e as FABPs, resultando em uma ativação indireta dos receptores CB1 e/ou CB2. Além disso, o CBD ativa o receptor 5-HT1A, PPARγ, TRPV1, TRPA1 e TRPV2. Ele também inibe a recaptação de adenosina e antagoniza os receptores GPR55, TRPM8 e os canais de cálcio do tipo T. 

Lee et al., 2017, British Journal of Pharmacology

Uma revisão de estudos em humanos realizada em 2015 e publicada na Neurotherapeutics constatou que o CBD pode ser útil no tratamento de transtornos de ansiedade em diferentes contextos. De acordo com trabalhos revisados, ele  é capaz, também, de reverter os efeitos ansiogênicos do THC;  reduz a ansiedade induzida experimentalmente ou relacionada ao medo; em indivíduos saudáveis e pessoas com transtorno de ansiedade social, o CBD mostrou-se eficaz na redução da ansiedade associada a testes simulados de falar em público. Além disso, o CBD demonstrou ser eficaz no aumento da extinção de memórias de medo em voluntários saudáveis. 

Publicado em 2022 na Frontiers in Pharmacology, um estudo realizado com profissionais de saúde da linha de frente no Brasil durante a pandemia de COVID-19 constatou que, em comparação com o grupo de controle, houve uma redução significativa no questionário Generalized Anxiety Disorder-7 (GAD-7) em relação aos valores iniciais no grupo que recebeu CBD. Os efeitos ansiolíticos do CBD foram mantidos até 1 mês após a interrupção do tratamento, sugerindo uma diminuição persistente da ansiedade neste grupo no mundo real. 

Ainda, um ensaio clínico publicado no Journal of Clinical Psychiatry em 2022 investigou a segurança e eficácia do canabidiol (CBD) para transtornos de ansiedade em jovens que não responderam previamente ao tratamento padrão. O estudo incluiu 31 jovens com idades entre 12 e 25 anos com um transtorno de ansiedade conforme o DSM-5 e sem melhora clínica mesmo após o tratamento com terapia cognitivo-comportamental e/ou medicamentos antidepressivos. Todos os participantes receberam CBD adicional por 12 semanas em um cronograma fixo-flexível, titulado até 800 mg/dia. O desfecho primário foi a melhora na gravidade da ansiedade, medida pela Escala de Gravidade e Prejuízo da Ansiedade (OASIS), na semana 12. O estudo constatou que a pontuação média da OASIS diminuiu de 10,8 no início para 6,3 na semana 12, correspondendo a uma redução de -42,6%. O estudo concluiu que o CBD pode reduzir a gravidade da ansiedade e possui um perfil de segurança adequado em jovens com transtornos de ansiedade resistentes ao tratamento.

Para além do CBD, o THC também pode auxiliar em quadros específicos de ansiedade, provocando  sensação profunda de relaxamento e sedação. Acredita-se que os efeitos do THC na ansiedade sejam mediados por mecanismos dos receptores CB1. No entanto, determinar uma dose segura e ideal de THC pode ser desafiador devido aos seus efeitos psicotrópicos, apresentando uma janela terapêutica estreita, onde a linha entre um efeito terapêutico e um efeito adverso é extremamente tênue no caso de pessoas com alta sensibilidade. 

A cannabis medicinal tem se mostrado uma importante ferramenta a ser explorada nos diferentes  transtornos de ansiedade, em especial para aqueles pacientes que não respondem ao esquema farmacológico convencional, mesmo em conjunto com abordagens psicoterápicas. Aliada à psicoterapia, a cannabis representa um novo e promissor caminho terapêutico com potencial de tratar de forma segura, eficaz e mais natural esse problema cada vez mais prevalente nos tempos atuais. 

Referências:

  • Berger M, Li E, Rice S, Davey CG, Ratheesh A, Adams S, Jackson H, Hetrick S, Parker A, Spelman T, Kevin R, McGregor IS, McGorry P, Amminger GP. Cannabidiol for Treatment-Resistant Anxiety Disorders in Young People: An Open-Label Trial. J Clin Psychiatry. 2022 Aug 3;83(5):21m14130. doi: 10.4088/JCP.21m14130. PMID: 35921510.
  • Blessing, E.M., Steenkamp, M.M., Manzanares, J. et al. Cannabidiol as a Potential Treatment for Anxiety Disorders. Neurotherapeutics 12, 825–836 (2015). https://doi.org/10.1007/s13311-015-0387-1
  • Coccaro, E. F., Hill, M. N., Robinson, L., & Lee, R. J. (2018). Circulating endocannabinoids and affect regulation in human subjects. Psychoneuroendocrinology, 92, 66–71. https://doi.org/10.1016/j.psyneuen.2018.03.009
  • Kwee CM, Baas JM, van der Flier FE, Groenink L, Duits P, Eikelenboom M, van der Veen DC, Moerbeek M, Batelaan NM, van Balkom AJ, Cath DC. Cannabidiol enhancement of exposure therapy in treatment refractory patients with social anxiety disorder and panic disorder with agoraphobia: A randomised controlled trial. Eur Neuropsychopharmacol. 2022 Jun;59:58-67. doi: 10.1016/j.euroneuro.2022.04.003. Epub 2022 May 10. PMID: 35561538.
  • Lee, J. L. C., Bertoglio, L. J., Guimarães, F. S., and Stevenson, C. W. (2017) Cannabidiol regulation of emotion and emotional memory processing: relevance for treating anxiety-related and substance abuse disorders. British Journal of Pharmacology, 174: 3242– 3256. doi: 10.1111/bph.13724.
  • Shannon S, Lewis N, Lee H, Hughes S. Cannabidiol in Anxiety and Sleep: A Large Case Series. Perm J. 2019;23:18-041. doi: 10.7812/TPP/18-041. PMID: 30624194; PMCID: PMC6326553.
  • Souza JDS, Zuardi AW, Guimarães FS, Osório FL, Loureiro SR, Campos AC, Hallak JEC, Dos Santos RG, Machado Silveira IL, Pereira-Lima K, Pacheco JC, Ushirohira JM, Ferreira RR, Costa KCM, Scomparin DS, Scarante FF, Pires-Dos-Santos I, Mechoulam R, Kapczinski F, Fonseca BAL, Esposito DLA, Andraus MH, Crippa JAS. Maintained anxiolytic effects of cannabidiol after treatment discontinuation in healthcare workers during the COVID-19 pandemic. Front Pharmacol. 2022 Oct 3;13:856846. doi: 10.3389/fphar.2022.856846. PMID: 36263136; PMCID: PMC9574068.
  • Stanley TB, Ferretti ML, Bonn-Miller MO, Irons JG. A Double-Blind, Randomized, Placebo-Controlled Test of the Effects of Cannabidiol on Experiences of Test Anxiety Among College Students. Cannabis Cannabinoid Res. 2022 Jul 20. doi: 10.1089/can.2022.0062. Epub ahead of print. PMID: 35861792.
  • Wright M, Di Ciano P, Brands B. Use of Cannabidiol for the Treatment of Anxiety: A Short Synthesis of Pre-Clinical and Clinical Evidence. Cannabis Cannabinoid Res. 2020 Sep 2;5(3):191-196. doi: 10.1089/can.2019.0052. PMID: 32923656; PMCID: PMC7480724.

Escrito por: Leticia Dadalt, PhD: Bióloga, apaixonada pela ciência da vida, traz uma bagagem acadêmica robusta para a arena da educação canábica. Sua jornada é dedicada a compartilhar conhecimento, quebrar estigmas e abrir caminhos para que mais pessoas possam explorar os benefícios terapêuticos dessa planta incrível.

Com sede no Vale do Silício, somos líderes em biotecnologia para suplementação nutricional, com certificado de boas práticas em manipulação pela regulamentação dos Estados Unidos. 

Alopecia

A alopecia, ou queda de cabelo, é uma condição que afeta milhões de pessoas no mundo e impacta muito a autoestima. Estudos sugerem que o Sistema Endocanabinoide exerce um papel crucial no controle capilar, atuando através dos receptores CB1 e CB2 e também dos receptores TRPV e PPAR como moduladores do crescimento capilar, abrindo caminho para novas abordagens terapêuticas na alopecia.

Leia mais »

Câncer de Pele

O câncer de pele é uma condição preocupante e cada vez mais comum em todo o mundo. Caracterizado pelo crescimento anormal das células da pele, pode se manifestar de diversas formas, sendo os tipos mais comuns o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. A exposição excessiva aos raios ultravioleta (UV) do sol é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele, destacando a importância da proteção solar e da realização de exames regulares da pele para detecção precoce. Embora geralmente tratável se diagnosticado cedo, o câncer de pele pode se tornar grave se não for tratado adequadamente, destacando a necessidade de conscientização e prevenção. Avanços recentes nas pesquisas apontam o sistema endocanabinoide como potencial alvo no combate ao mais agressivo dos cânceres de pele, o melanoma.

Leia mais »

Óleo de Semente de Cânhamo – Cuidado Natural com a Pele

O óleo de semente de cânhamo é uma fonte rica de ácidos graxos essenciais, incluindo ômega-3 e ômega-6, que podem beneficiar a saúde da pele. O óleo de semente de cânhamo pode ser utilizado como hidratante, adicionado a produtos de cuidados com a pele ou consumido como suplemento alimentar para melhorar a saúde da pele de dentro para fora.

Leia mais »